PT acabou miséria e quebrou classe média

O Brasil fez nas últimas duas décadas uma fantástica revolução quando retirou das ruas milhares de famintos flagelados através de uma ação direta do Estado, ao promover expressiva distribuição de renda. Os ricos e a classe média deixaram de dar esmolas, sob argumento que este é um papel do Estado, como responsáveis de cuidar da vida dos pobres e necessitados.

Por outro lado, para superar a dificuldade orçamentária, o caminho como sempre foi punir o assalariado. Assim, no Brasil, paga mais imposto quem menos ganha. Assalariado e rico foram onerado com mais tributo e, por isto, não mais se comovem com o quadro de pobreza com que se depararam com os miseráveis e diante da insistência um apelo de um pobre ouvem, como resposta, uma respostas que as elites consideram um insulto politico aos mais pobres:

– Vá pedir ao Lula!

Por outro lado, o exército de pobres habituados a ocupar as ruas acabou se reinventando e trocou o apelo fundado na caridade, criada na piedade cristã medieval, pela venda de quinquilharia de toda espécie e, muitos deles já transmudados em empresários arregimentam muitos trabalhadores fixos assalariados, reduzindo o sepultado exercito de reserva como uma nova mão-de-obra. Por trás dos trabalhadores de rua, funciona operação complexa, mesmo verdadeiras empresas com estrutura de distribuição eficiente e com receita maior do que muitos supermercados e industrias.

A miséria exposta pelos pedintes necessitados a circular pelas ruas e transportes públicos das cidades ocorre em outros países, mesmo desenvolvido, mais do Brasil em tempos remotos a caridade era tão lucrativa que de tal forma era vendido o ponto mais rendoso de um mendigo, por valores que permitia um miserável comprar uma casa, como se constatou na venda do local a porta da catedral da Sé de São Paulo em remotas eras, fato publicado por jornais paulistas.

O certo é se dizer que o PT atirou no que viu e acertou no que não viu quando reconfigurou o tecido social brasileiro ao fazer a revolução dos miseráveis que deixaram o universo da passividade e passaram a utilizar sua capacidade no mercado do trabalho passando a ser sujeito ativo de um projeto que em pouco tempo evolui sem protagonistas políticos, cujos atores assumem papéis cada vez mais importante no noticiário criminal por atos delituosos.

Os mais de 200 milhões de brasileiros estão a demonstrar que Darcy Ribeiro tinha razão a falar que aqui surgiu um nova raça capaz de seguir a passos largos para um novo destino e avançar para um futuro glorioso desde que os governantes nada façam. Os brasileiros precisam viver com menos governo possível, pois os governantes não conduzem a gestão pública, mas provocam uma indigestão governamental.

Uma evidência do que somos capazes é a revolução dos pobres que tomaram o seu destino e deixaram a pobreza para se elevar a classe média, também se fez uma presença como força de trabalho a construir um elo importante na corrente na produção gerando mais trabalho, mais riqueza e mais esperança no futuro.

Elcias Lustosa

*Jornalista e escritor

Sobre elciaslustosa

Redator político dos jornais de maior circulação do país há cerca de cinquenta anos, trabalhando como jornalista profissional e comentarista de assuntos políticos e econômicos. Desenvolveu também atividade de promoção de eventos com empresas de sua propriedades ao longo da vida.
Esse post foi publicado em Atualidades, Jornal, Politica, Sem categoria e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s