Corretivo: educa e evita danos

image

O desmonte do aparelho público do estado brasileiro, com sua extrema desmoralização, leva a um verdadeiro descaso na condução da maioria dos responsáveis pelos serviços públicos e deixam que vândalos alucinados cometam as maiores loucuras e destruam não só o patrimônio público como o privado sem que a máquina de segurança do estados aja com eficiência e seja capaz de coibir os excessos. Um dia antes da alucinante baderna à frente do Congresso Nacional, dois de seus chefes supremos da segurança pública de Brasília, ex-governadores, foram presos por roubo, enquanto faltava água oxigenada e até esparadrapo para a realização de um simples curativo na rede pública hospitalar da capital da República que já fora considerada a melhor do país.

Em Brasília temos os maiores salários da Policia Militar do Brasil, mas isto não melhora a qualidade da ação da segurança pública, pois na capital da república se engorda as maiores ratazanas que atacam os cofres da Viúva (União), que são invadidos por políticos-bandidos com atuação em carácter eventual e/ou permanente, pois em política, a honestidade é eventual e acaba com o fim da sua interinidade. A honestidade da política dura até se conseguir a estabilidade. O político deixa a interinidade quando consegue um cargo comissionado ou uma assessoria no Legislativo, ou também quando se reelege por mais de duas vezes, obtendo renda vultosa por longos anos, quando, então, baixa ao túmulo com gordo holerite nas mãos. Temer virou político em 1986 e desde, então se tornou estável como continua até hoje, a não ser que naufrague no maremoto do impeachment como fez ele com a Dilma.

Nas vésperas das brutais e absurdas depredações cometidas na frente do Congresso Nacional os criminosos depredaram equipamentos públicos e invadiram salas dos ministérios destruindo e incendiando móveis e utensílios sem que os policiais fizessem o devido uso das medidas corretivas para conter os baderneiros. Seria necessário uso da violência do cassetete pesado e educativo, sem que em nenhum momento isto possa ser considerada desrespeito aos direitos humanos. Sou a favor da aplicação do direito humano do cassetete para defender minha casa diante a um invasor que vai destruidor meus móveis e utensílios e por em risco a segurança de meus familiares.

A Polícia deve arrebentar um cidadão que possa destruir um monumento ou patrimônio da cidade, gratuitamente. É direito humano vê preservada uma vidraça da Catedral de Brasília. Fala com a autoridade de quem traz nos couros registros históricos da ação política na repressão da estudantado nos anos sessenta, saído há bem pouco da adolescência. A violência é entregue ao Estado para que o cidadão tome a si a sua própria defesa, inclusive com uso de arma letal, dai não ser permitido abstenção do aparelho de defesa pública.

Dois governadores presos por roubo não conduz uma tropa com bom senso na contenção dos baderneiros alucinados que invadem imóveis públicos a destruir bens, dai me sinto no doloroso dever de defender o PM que disparou uma arma contra algum canalha, porque não se sabe qual tipo de provocação o mesmo produziu, capaz de gerar o ato desastrado do agente de segurança pública que, nas imagens aponta a arma para o alto com cuidado de evitar atingir qualquer cidadão.

Não sou a favor da violência gratuita, mas é indiscutível a necessidade de meios violentos para impedir danos causados por desastres, afinal usar força policial para evacuar um edifício na iminência de desabar, com risco da morte de uma centena de pessoas, é um ato a favor da vida contra a violência da tragédia anunciada. Evitar o risco de que inundação com morte previsível é preferível como ato de solidariedade humana. Desta forma, é preferível uma boa cambada de baderneiros sendo recolhidos a um hospital após bem tratados por boas bordoadas cívicas de látex do que assistir a Polícia não reagir, preventivamente, e permitir a destruição dos vitrais da nossa majestosa catedral.

Viva nossos seringais. Um bom corretivo com látex não mata ninguém e educa!

Elcias Lustosa

*Jornalista e escritor

Sobre elciaslustosa

Redator político dos jornais de maior circulação do país há cerca de cinquenta anos, trabalhando como jornalista profissional e comentarista de assuntos políticos e econômicos. Desenvolveu também atividade de promoção de eventos com empresas de sua propriedades ao longo da vida.
Esse post foi publicado em Jornal, jornalismo, Sem categoria, violência e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Corretivo: educa e evita danos

  1. Rosa Maria carvalho Lustosa da Costa disse:

    A autoria da depredacao dos prédios públicos está sendo creditada a infiltrados que não eram da oposição ao governo

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s