Temer rouba para fazer

Está na moda no novo milênio, do Brasil cibernético, o roubo para fazer que substituiu o roubo mas faço que teve seu funeral com a condenação do mais expressivo ator da antiga prática, o deputado Paulo Salim Maluf que exercitou todos os ilícitos previstos no código penal sem jamais ser alçados pelos braços da lei. Ele sucedeu Adhemar de Barros, que comparados aos mafiosos de hoje, surrupiava galinha e tomava trocados de empresas de transporte coletivos, afinal não havia ainda obra bilionária como ocorre atualmente.

De qualquer maneira, a mídia resolveu ouvir Chico Buarque e chamar o ladrão para acabar com o crime, mas resolver premiar o criminoso que havia pedido a propina devolvendo o valor recebido merecendo assim perdão midiático geral e irrestrito, afinal devolver um valor furtado isentada o governante para continuar na gestão do país para o bem de todos. O povo treme a ouvir se é para o bem de todos e felicidade de geral da nação diga ao povo que fico roubando alegremente, desculpe, desgovernando. Na venda de Judas faltaram 35 moedas, mas a cota de judas era de 30 moedas as cinco moedas foram gastas com as fraldilhas do Michelzinho.

As empresas de comunicação de massa precisam de equipamentos caros e importados, obtidos com apoio governamental diretos ou indiretos (isenções fiscais ou verbas publicitárias), daí o visível despertar de paixão de todos veículos pelo governo Michel Temer que, com ar de bolo confeitado, virou o doutor pureza, mesmo devolvendo propina que confessou ter recebido em gravação. O Chefe de Governo que prevarica negociando propina por 30 anos ao vivo e a cores como um açougueiro deveria ser destituído por mesquinharia.

Na verdade, o Temer como advogado não deveria ter ido além das funções de delegado de Policia de subúrbio. Mesmo assim deveria ser proibido de conduzir processo criminal mais complexo. Pelo jeito, ele treme diante de autos que reclamam maior saber jurídico e acabaria por aceitar argumento do estuprador que alegaria ter cometido a violência sexual contra a mocinha que desfila de roupas sensuais por não resistir a tentação e se sentir seduzido.

Elcias Lustosa
*Jornalista e Escritor.

Sobre elciaslustosa

Redator político dos jornais de maior circulação do país há cerca de cinquenta anos, trabalhando como jornalista profissional e comentarista de assuntos políticos e econômicos. Desenvolveu também atividade de promoção de eventos com empresas de sua propriedades ao longo da vida.
Esse post foi publicado em Atualidades, Jornal, Politica e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s